Video For Canção de ninar: como o estúdio do remake de Dead Space recriou o icônico trailer do jogo

Canção de ninar: como o estúdio do remake de Dead Space recriou o icônico trailer do jogo

Quando o Dead Space original foi lançado, em 2008, ele trazia uma experiência única que misturava elementos de terror e ficção científica de uma forma muito bem feita, por isso o jogo se tornou um clássico logo de cara, e hoje é lembrado como um dos melhores jogos de terror de sobrevivência já feitos. Dead Space (2023) está disponível com legendas em português brasileiros.

Junto com o lançamento do game foi divulgado também um trailer tão único que se tornou icônico por si só: o trailer “Lullaby”.

Combinando vocais assustadores com cenas arrepiantes, o trailer capturou perfeitamente a atmosfera do jogo, apresentando a USG Ishimura, a nave de mineração condenada que serve como principal ambientação ao game. Foi uma introdução tão impressionante e memorável que os fãs logo amaram. Na real, deu tão certo que trailers similares foram feitos para jogos posteriores na série.

Mais de uma década depois, nosso time começou a trabalhar no remake. Como parte do processo, nós naturalmente gastamos muito tempo analisando o original, e também revisitamos todas as mídias ao redor do jogo para usar como referência. Enquanto trabalhava, eu ficava com o trailer passando o tempo todo em um computador ao lado… e aquela versão assustadora de “Brilha, Brilha, Estrelinha” (“Twinkle, Twinkle, Little Star”, no original) começou a entrar na minha cabeça.

Aí, quando anunciamos o game, comecei a ver os fãs postarem na internet em como seria legal ver o trailer refeito para o remake. Como um fã de longa data de Dead Space, eu sabia que poderia fazer isso. Então, depois que a produção do jogo terminou, decidi pegar algumas imagens e fazer minha própria versão atualizada do trailer Lullaby, como uma surpresa para o resto do time. E assim que eles viram no que eu estava trabalhando, outros membros da equipe ficaram felizes em ajudar.

Trabalhamos duro para capturar todas as cenas que precisávamos, o que não é tão simples quanto vocês possam imaginar. Primeiro que eu planejei fazer uma cópia exata do original, mas muitas das cenas no trailer foram, na verdade, capturadas no trecho em que exploramos a USM Valor do jogo, e não na Ishimura.

Eu queria garantir que todas as cenas fossem na Ishimura, já que é o cenário principal do game. Então, decidi usar cenas que combinavam com a composição e tom do original, mas trocando o lugar quando necessário (e ainda tem uma cena rápida capturada na Valor, vejam se conseguem saber qual!).

As partes mais desafiadoras, porém, foram as cenas dos ataques de Necromorfes. Algumas das cenas ficam na tela somente por uma fração de segundos, então foi difícil capturar exatamente a mesma coisa, só com uma iluminação adequada e composição clara. E vamos combinar também que os necromorfes não são os melhores para se colaborar como “atores”.

O Oliver Asselin, diretor de áudio do jogo, atualizou o som do trailer com a nossa própria gravação dos vocais. Ele fez um trabalho incrível em recriar perfeitamente a cacofonia caótica dos instrumentos que acompanham os cortes de cena.

Todos os desenvolvedores que trabalharam no remake têm muita paixão por Dead Space. A série tem um lugar especial no meu coração porque tive a sorte em trabalhar em Dead Space 2 e Dead Space 3 como artista de cenário. Ter a chance de atualizar um dos meus produtos de mídia favoritos do jogo original foi muito divertido. Estamos orgulhosos do resultado final, e esperamos que os fãs gostem dessa viagem ao passado tanto quanto a gente gostou.

Estão preparados para ouvir necromorfes cantando uma canção de ninar para vocês? Dead Space está já está disponível no Xbox Series X|S e PC.